Vale do Varosa distinguido pela APOM em três categorias

O projeto Vale do Varosa foi premiado pela APOM – Associação Portuguesa de Museologia nas categorias “Melhor Intervenção em Conservação e Restauro” e “Informação Turística”. O Centro Interpretativo do Mosteiro de São João de Tarouca foi ainda distinguido com uma menção honrosa na categoria “Museografia”. As três distinções vêm reconhecer uma ideia que em 2009 dava os primeiros passos e que desde 2016 coloca à disposição do público um conjunto de monumentos a trabalhar em rede, depois de um complexo processo de recuperação com vista à fruição pública.

Em cerimónia pública, que decorreu esta sexta-feira, 9 de junho, no Museu Nacional de Soares dos Reis, o coordenador do projeto, Luís Sebastian, sublinhou receber estes prémios em nome da Direção Regional de Cultura do Norte, enquanto instituição responsável pelo projeto; em nome do Museu de Lamego, enquanto entidade gestora da sua abertura ao público; mas sobretudo em nome das dezenas de técnicos das mais diferentes áreas que ao longo dos anos e diariamente contribuíram, e contribuem, para a construção e crescimento do projeto Vale do Varosa, para além de todas as instituições públicas e privadas parceiras do mesmo.

O projeto “Vale do Varosa”, da responsabilidade da Direção Regional de Cultura do Norte (DRCN) e sob gestão de proximidade do Museu de Lamego, aposta na salvaguarda e valorização do Património Histórico da região, enquanto motor de desenvolvimento. Foi por isso objetivo primeiro a recuperação do património móvel e imóvel dos mosteiros de São João de Tarouca e Santa Maria de Salzedas e Convento de Santo António de Ferreirim.

Desde julho de 2016 que a Rede de Monumentos Vale do Varosa atua em pleno, contando com mais dois membros – Ponte Fortificada de Ucanha e Capela de São Pedro de Balsemão-, num convite à (re)descoberta de um território singular, capaz de despertar múltiplas sensações pelo que evoca, simboliza e representa.

Depois do reconhecimento do Vale do Varosa em Valladolid, com o Prémio Internacional AR&PA 2016 de Intervenção no Património Cultural, no âmbito da Bienal AR&PA – Bienal de Restauro e Gestão do Património, os Prémios APOM para a “Melhor Intervenção em Conservação e Restauro” e “Informação Turística” vêm dar força a um projeto de dimensão regional que, além da reabilitação, aposta ainda na sustentabilidade, através de uma estratégia de promoção contínua dos espaços e da organização dos mais diversos eventos e na fidelização de quase todos os operadores turísticos a trabalhar no Douro.

Integrado no projeto Vale do Varosa, o Centro Interpretativo do Mosteiro de São João de Tarouca, distinguido com uma menção honrosa na categoria “Melhor Museografia”, é um espelho de todo o projeto, ao alicerçar a recuperação, valorização e divulgação na investigação e informação histórica produzidas.

Instalado no edifício da Casa da Tulha, antigo celeiro monástico, o Centro Interpretativo do Mosteiro de São João de Tarouca revela-se por isso como um espaço indispensável na compreensão da arquitetura, espaços e vivência no interior do complexo monástico, sendo aqui a museografia particularmente importante na definição e organização de toda a exposição e fundamental naquele que é o primeiro contacto do público com este mosteiro cisterciense, cujo complexo monástico se encontra em ruínas, musealizadas no âmbito do processo de recuperação.

Visitar a rede de monumentos Vale do Varosa é fazer uma viagem ao passado, possibilitada pelo projeto que está no terreno desde 2009, mas a funcionar em pleno desde 2016.

A cerimónia de entrega dos Prémio APOM, prémios que pretendem incentivar e premiar a imaginação e a criatividade nos museus e monumentos portugueses, decorreu esta sexta-feira, 9 de junho, no Museu Nacional de Soares dos Reis.